sábado, 26 de outubro de 2013

VEREADOR MAX DEFENDE VENDEDORES AMBULANTES E REPUDIA COBRANÇA DE TAXA PARA COMERCIALIZAÇÃO NA FESTA DO PADROEIRO DE RIBEIRÓPOLIS.

O vereador Ney Max Santana Oliveira (Max de Zé de Toinho/DEM) usou a tribuna na sessão de quinta-feira (24) para repudiar a cobrança feita Prefeitura de Ribeirópolis aos vendedores ambulantes que irão comercializar na festa social do padroeiro. Max reconhece a Lei existente, mas afirmou ser contra a cobrança da taxa.

“Uma taxa desnecessária de ser cobrada. Porque já passaram duas gestões tanto de Regina como de Uíta Barreto e não foi cobrada essa taxa de comercialização. Uma das taxas no valor de R$ 182,00. Uma festa pública”, ressaltou o vereador Max que diz ter recebido reclamações dos vendedores.

O democrata é contra a cobrança da taxa, embora entenda que o código tributário do município estabelece os valores. “Três mil, cinco mil reais a mais que vão receber desses barraqueiros não vai fazer diferença. A prefeitura está quebrada assim é?”, questionou Max.

Apartes
A vereadora Lucivânia Amarante (Vaninha/PDT) foi informada que a arrecadação feita aos ambulantes deverá pagar a equipe de segurança particular que trabalhará na área interna do evento. A vereadora defende que os vendedores de Ribeirópolis sejam isentos.

O vereador José Alberto Nascimento (Zé Veio/PR) discordou do vereador Max e declarou sua posição sobre o assunto. “O povo tem que aprender a pagar também. Não é só de graça! Eu sou a favor”, frisou Zé Veio.

Franklin Andrade
ASCOM/Câmara de Ribeirópolis