sábado, 10 de julho de 2010

No Nordeste, Serra volta a prometer que vai dobrar número de beneficiários do Bolsa Família

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, deu hoje (10) o pontapé inicial de sua campanha na Região Nordeste. Junto com aliados de partido - o senador Tasso Jereissati e o candidato ao governo do Ceará, Marcos Cals - Serra fez uma caminhada, de aproximadamente uma hora e meia, pelas ruas da cidade de Cascavel, a 60 quilômetros de Fortaleza.

O candidato voltou a prometer que irá dobrar o número de beneficiários do Programa Bolsa Família. De acordo com ele, os recursos virão da redução no pagamento de juros. Serra avalia que o programa não é caro e disse que quer associar o Bolsa Família a outras ações, como saúde e capacitação profissional de jovens. O Nordeste é uma das regiões mais beneficiadas pelo programa.

“Não é um programa caro, especialmente se se leva em conta o proveito que a população carente tira dele”, declarou. “Não há uma correspondência entre quem recebe o Bolsa Família e o Programa Saúde da Família. É preciso fazer essa relação.”

O candidato criticou a proposta para a divisão dos royalties com a exploração do petróleo da camada pré-sal e defendeu que as regiões produtoras tenham direito a uma parcela maior. De acordo com o tucano, o modelo deve “atender a todos” e distribuir os lucros do petróleo entre os estados e municípios, mas as regiões produtoras – como o Rio de Janeiro e o Espírito Santo – devem receber mais.

Os senadores aprovaram emenda que prevê a divisão dos royalties entre todos os estados e municípios, e não somente entre os produtores de petróleo. A matéria voltará a ser analisada pela Câmara dos Deputados.

“O governo lançou [a proposta de divisão dos royalties] e deixou correndo no meio de uma campanha eleitoral, causando conflito entre os estados. Precisamos harmonizar isso. É perfeitamente possível distribuir os benefícios do petróleo para o conjunto de estados e municípios. As regiões produtoras terão algo sempre de especial, porque elas produzem e precisam de estrutura”, afirmou aos jornalistas.

Serra disse ser contrário ao uso de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a fusão de companhias. “Uma coisa é emprestar dinheiro para investimento, formar capital novo. Outra é para uma empresa comprar outra. Eu não sou contra uma empresa comprar outra, mas não com dinheiro subsidiado”, disse.

Na área da saúde, Serra disse que pretende lançar um programa de acompanhamento médico para as grávidas – elas seriam atendidas pelo mesmo profissional, do pré-natal ao nascimento da criança. Ele afirmou que já desenvolveu essa iniciativa quando estava à frente do governo de São Paulo e pretende torna-lá nacional.

Para o Ceará, o candidato afirmou que dará continuidade a obras, de acordo com ele, “que foram anunciadas e mal começadas”. Ele citou a ampliação do Aeroporto de Fortaleza e a construção da Ferrovia Transnordestina, que irá até o Porto de Pecém, no estado.

Ao ser indagado porque decidiu iniciar pelo Ceará a campanha nordestina - região em que apresenta desempenho baixo nas pesquisas de intenção de voto - Serra alegou que tem apreço pelo estado e gostaria de visitá-lo mais.

Já o senador Tasso Jereissati, candidato à reeleição, negou que as cidades escolhidas para a visita de Serra – Cascavel, Uruoca, Marco e Massapê – sejam redutos eleitorais do atual governador Cid Gomes (PSB), irmão de Ciro Gomes e aliado da presidenciável do PT, Dilma Rousseff. “Isso aqui não é colônia de ninguém. É do povo”, respondeu o senador.

Durante a visita a Cascacel, Serra visitou a feira do município, cumprimentou eleitores e comerciantes e, inclusive, fez uma parada em uma padaria para tomar um refresco e tirar fotos.


Fonte: www.uol.com.br/eleicoes2010